Aprenda a realizar um processo de cobrança eficiente 1

Aprenda a realizar um processo de cobrança eficiente

Quando um empreendedor planeja lançar um novo negócio, a inadimplência e a necessidade de criar um processo de cobrança muitas vezes nem passam por sua cabeça.

Seu  Negoçio é tão vantajoso e seu preço tão alinhado com seus diferenciais que é impossível que haja qualquer problema de pagamento, certo? Essa euforia pode contagiar, mas de repente a inadimplência aparece como um fantasma.

Sentiu alguma familiaridade com essa história? Assim como você, muitos outros empreendedores espalhados pelo mundo passam por isso, pode ter certeza!

Mas não se sinta mal por isso, viu? Dá para criar um processo de cobrança eficiente que vai ajudar muito na saude finaçeiro do seu negócio. deixo tudo  claro neste  post!

Entendendo a importância de cobrar os valores em atraso

As relações comerciais envolvem, resumidamente, um fornecedor que entrega seu produto ou serviço e o cliente que o recebe, e, em contrapartida, paga o valor previamente acordado ou estabelecido. Simples, não é mesmo?

Porém, em algumas situações e por motivos diversos, o cliente não cumpre com sua parte nessa relação, e é preciso regularizar esse cenário por várias razões. Entre elas, podemos citar:

  • parte considerável da remuneração sob responsabilidade do cliente é destinada ao pagamento dos custos do negócio, inpostos , comissao e etc.;
  • a falta de recursos em caixa impede que o empreendedor invista em melhorias de seus produtos digitais e infraestrutura; por exemplo, trocar seus equipamentos;
  • as chances de recuperar um prejuízo vão diminuindo ao longo do tempo. Por isso, é preciso dedicar tempo para realizar a cobrança, o que, para o empreendedor que atua sozinho, significa menos disponibilidade para produzir e vender;
  • o cliente, ainda que inadimplente naquele momento, pode gerar novos negócios. Afinal de contas, ele está dentro do perfil do produto e serviço realizado, certo?

A inadiplençia trava as engrenagens do negócio em todos os sentidos, impede novos investimentos, deixa o empreendedor mais suscetível a se tornar devedor de seus fornecedores, entre outros aspectos.

No entanto, ao mesmo tempo, é uma situação que precisa ser tratada com estratégia, pois ainda que o cliente esteja inadimplente, ele tem o perfil do produto e acabar com tal relacionamento pode significar a perda de oportunidades futuras.

Então, nada de cobranças ríspidas, desrespeitosas, cortes dos serviços sem aviso ou coisa do tipo. Investigar o motivo da inadimplência, e, principalmente, criar soluções junto aos clientes podem ser ações muito mais eficientes.

Estabelecendo um processo de cobrança em 3 passos

Outra medida importante é a criação de ações preventivas que evitem a inadimplência. Você pode colocar tudo isso em um manual de cobranças.

1. Elabore um manual de cobranças

Mesmo se a cobrança for feita por você, é essencial que haja um padrão no processo e regras preestabelecidas. Afinal de contas, é muito importante tratar os clientes com as mesmas condições.

Por isso, criar um manual garante que você seja justo com todos, não precise ter todas as regras memorizadas e não falhe por ter esquecido de tomar alguma das medidas já estabelecidas.

Nesse manual, você pode colocar questões de como a linguagem que deve ser usada, quais os formatos das mensagens, tipo de renegociações possíveis para cada situação, além da definição da régua de cobrança que comentaremos a seguir.

2. Faça um bom controle e análise sobre as contas

Não basta apenas enxergar o que está entrando e saindo, é fundamental analisar os detalhes: a forma de pagamento que os clientes estão usando, se optaram por parcelamento, se é a primeira compra ou renovação, entre outros.

Essas particularidades ajudarão a entender o comportamento de cada clienteem relação às suas obrigações financeiras. Fazendo análises junto à lista daqueles que já atrasaram o pagamento, padrões que antecedem a inadimplência podem ser identificados.

E sabe o que você pode fazer com essa informação? Criar ações preventivas!

Se clientes que compram por meio de débito automático são mais propensos ao atraso, por exemplo, é interessante enviar avisos por SMS próximo às datas de vencimento.

3. Tenha em mente que o bom relacionamento é um ótimo aliado

Mesmo em mensagens no processo de cobrança, tente levar a situação para a perspectiva do cliente.

Quer parceria mais interessante do que aquela que se preocupa com você? É assim que o cliente se sentirá ao receber um lembrete com uma linguagem educada.

Além disso, outras atitudes também podem ajudar a manter um bom relacionamento, como:

  • estabelecer um contato mais informal nas primeiras cobranças para demonstrar empatia e desejo de manter o relacionamento comercial;
  • tentar compreender as razões do atraso, pois isso ajudará a mapear as possibilidades de reincidência;
  • negociar com o cliente, dentro das possibilidades previstas no manual de cobrança que você elaborou, entendendo qual a melhor saída para a regularização dos pagamentos.

Desenvolvendo uma régua de cobrança eficiente

Chegamos, finalmente, à criação da régua do processo de cobrança, uma linha cronológica de ações que vão desde a prevenção contra a inadimplência até a recuperação de créditos.

Você pode estabelecer, por exemplo, que:

  • um email será enviado com o boleto de pagamento até 5 dias antes do vencimento;
  • no dia do vencimento, uma mensagem SMS poderá lembrar a cobrança oferecendo a possibilidade de receber o código de barras pelo celular;
  • 5 dias após o vencimento e constatado o atraso, uma ligação amigável para lembrete e renegociação;
  • um dia após o combinado ou transcorrido 10 a 12 dias, novo contato por telefone.

Então, o que considerar nessa régua? Vamos lá.

Frequência de contatos

A frequência de contatos deve ser equilibrada entre a importância de lembrar a cobrança com a importunação, não é mesmo? Por isso, determinar qual o intervalo entre as abordagens é essencial.

Uma boa dica é considerar se o cliente respondeu a primeira abordagem, justificou o atraso e se se comprometeu com uma nova data de pagamento.

Se houve interação, é preciso dar créditos ao que foi dito. Porém, sem uma resposta, novas tentativas podem ser realizadas alternando os meios de contato.

Canais utilizados para realizar a cobrança

Esses canais, aliás, também podem obedecer a uma regra de prioridade, começando por mensagens de texto (SMS), emails para situações preventivas ou de atraso recente, e partindo para o contato telefônico e carta formal para casos mais críticos.

Uma boa dica é considerar os canais que o cliente já utilizou para interagir com você em outras situações.

Automatização de sistemas

Você também pode apostar em sistemas automatizados para cobranças se tiver um bom volume para tratar. Nesse caso, a agilidade e regularidade que tais soluções proporcionam também podem ajudar bastante.

Além disso, esse tipo de ferramenta pode possuir níveis de personalização interessantes, o que impede que o canal seja muito formal e distancie você de seu cliente no processo de cobrança.

Afinal, quais os efeitos do controle da inadimplência no seu negócio?

Tomando essas medidas e criando um processo de cobrança, você pode ter maior previsibilidade de receita, controle do seu fluxo de caixa e um bom relacionamento com sua base de clientes.

Muitas vezes, a razão da inadimplência é momentânea e, depois de oferecer uma boa solução para o cliente, o relaçionamento comerçial de vocês pode se fortalecer e crescer muito.voçe gostou deixa seu comentario , a infobusiness ficara muito contente em receber seu comentario.

Anúncios
Qual a importância de fazer controle de gastos? 2

Qual a importância de fazer controle de gastos?

Muitas pessoas já perceberam a importância de controlar seus gastos, de se organizarem financeiramente e de investirem no futuro. Mas isso só é possível quando há um monitoramento de todo o dinheiro que entra e sai da conta.

Se você está lendo esse texto e pensando que, mesmo não fazendo um controle rígido das finanças, você sabe em média quanto gasta por mês, não se assuste se ao colocar esses dados na ponta do lápis perceba que boa parte da sua receita está sendo utilizada com aplicativos de transporte ou alimentação fora de casa, por exemplo  etc .

Além disso, se você é freelancer ou influenciador, a importância de dividir os gastos é ainda maior, pois há variação de receitas de um mês para o outro, mas muitos gastos permanecem fixos.

Por isso, se você quer se planejar e ficar com as contas no azul, confira as nossas dicas!

Motivos para fazer uma planilha de controle de gastos

É normal que todos saibam qual o valor exato que recebem por mês, mesmo que não trabalhem com algo fixo. Mas quando a pergunta é sobre o valor que gastam, a maioria não sabe dizer de forma precisa.

O trabalho digital possui uma indepedençia se comparado com o mercado tradicional, porém ele também exige uma organização financeira, e a melhor forma de se fazer isso é utilizando uma planilha ou planificaçao

É claro que não há a necessidade do uso de planilhas muito complexas, pois isso é um fator que desestimula o acompanhamento, mas ficar de olho nos gastos mensais ajuda você a pensar em novas conquistas.

Uma planilha também permite que com algumas fórmulas sejam calculadas várias métricas, como o ROI quer dizer retorno sobre investimento é uma das métricas financeiras utilizadas pelos negócios que mede o retorno de investimento, demonstrando assim a saúde financeira da marca.

Portanto, para que um negócio funcione e seja possível tomar decisões, é preciso se planejar, ter reservas para investir e possuir um capital de giro que mantenha sua marca no mercado, mesmo quando as ofertas não estejam tão boas.

Começar essa organização do zero pode ser difícil, mas há programas aplicativos que conseguem simplificar isso. No computador, é possível utilizar as planilhas do Excel ou do Google, que atualizam os valores online e os armazenam na nuvem.

Além disso, alguns aplicativos de celular como o  GUIA BOLSO ECONOMIA e ORGANIZZE emuito mais aplicativos resentes que pode  ajudam com a criação de bretes de pagamentos, integrações com os gastos do cartão e com a conta do banco, e ainda o envio de alertas quando os gastos ultrapassam os valores definidos.

4 vantagens da organização de gastos

Com a vida financeira em dia, é possível que o empreendedor se sinta mais seguro e confortável para fazer novos investimentos, pagar suas contas em dia e evitar surpresas desagradáveis. Veja outras vantagens!

1. Propor metas a longo prazo

Somente com uma planilha organizada será possível propor metas para seu futuro. Hoje, você sabe quanto pode investir? Você possui uma reserva de emergência ou está juntando dinheiro para realizar algum sonho?

O controle finaçeiro ajuda na proposição de metas, pois mostra de forma objetiva quanto entra e quanto sai. Assim, será possível criar metas mensais, por exemplo, para que ao final de um ano você consiga juntar determinado valor.

2. Ter acesso rapidamente a informações importantes

Ao organizar os seus dados, você poderá consultá-los de maneira fácil e prática. Por isso, recomendamos que sejam utilizadas planilhas no computador ou aplicativos de celular.

Assim, atualizando e monitorando as entradas e saídas, você sabe em quais datas irá receber, quanto ainda pode gastar naquele mês ou quanto já ultrapassou no seu limite.

3. Cortar gastos

Depois de organizar as informações e descobrir de quanto são seus gastos, você poderá estabelecer cortes, pois conseguirá analisar o que são custos e o que são gastos.

Os custos fixos incluem: aluguel, luz, internet, telefone, água, alimentação e, dificilmente, podem ser cortados ou diminuídos.

Já os gastos são mais fáceis de serem eliminados. Você pode se propor a diminuir o uso dos aplicativos de transporte, comer fora apenas aos finais de semana e comprar roupas novas apenas em ocasiões especiais.

4. Tomar decisões

Para tomar decisões e se comprometer financeiramente, é preciso estar com as contas em dia.

Dessa forma, a organização financeira permite que você faça investimentos a longo prazo, pegue empréstimos quando necessário e faça compras parceladas, pois mediante os dados da sua planilha, a sua expectativa de ganhos e gastos já está planejada.

Aprenda a fazer o seu controle de gastos em 3 passos

Como já disse, recomendo que você se organize financeiramente por meio de uma planilha.

Veja agora como fazer seu controle de gastos usando o planilha do Google!

1. Crie a planilha

Divida sua planilha em meses e gastos. Na parte superior, nomeie 12 colunas com os meses.

Na parte lateral, você deve escrever todos os gastos, como: alimentação, aluguel, luz, água, condomínio, transporte, investimento da marca, gastos pessoais, entre outros.

voçe leu amateria deixa seu comentario , gostaria de ouvir a sua openiao.

infobusness online

Negoçio online em casa

muita pessoas da agençias de markenting digital eles trabalha em pouco periodo ou seja eles escolha a hora e o localar para trabalhar , si voçe quer trabalhar em casa em pouco periodo , eu tenho boas estrategias para voçe , si voçe leu esta materia deixa seu e-mael e o nome a baixo , nao exquençe de deixar seu comentario tanbem.

KPIs que você deve acompanhar para medir o sucesso dos seus vídeos

Entenda o que são KPIs, quais são os principais e como usá-los para medir o sucesso de sua campanha de vídeo!

 

O video markenting é uma estratégia essencial para se relacionar melhor com a sua audiência e engajar o público, além de aumentar consideravelmente o tráfego dos seus canais.

Mas para medir a eficácia dessa estratégia é necessário planejar e definir os objetivos a serem conquistados. Sem mensurar os resultados, será impossível saber o que está dando certo e o que pode ser descartado. Isto significa mais efetividade e investimentos mais eficientes.

E a melhor forma de fazer isto é definindo KPIs para acompanhar o sucesso dos seus vídeos, dentro do planejamento estabelecido.

Por isso, iremos explicar tudo sobre os melhores indicadores-chaves para medir os resultados da sua estratégia de vídeo marketing e como usá-los para melhorar a performance dos seus conteúdos.

Vamos lá?

Entenda o que são KPIs e quais são suas funções

Os KPLS(Key Performance Indicators), ou indicadores-chave de performance, fornecem informações sobre o desempenho de uma empresa, site ou conteúdo.

Quando você os acompanha constantemente, sabe se as ações da sua estratégia estão sendo bem sucedidas. Entretanto, é importante entender que KPIs são diferentes de métricas.

Metrica é aquilo que pode ser medido. Ou seja, são vários dados que podem ser relevantes ou não para o seu negócio. Quando a métrica se torna um fator-chave para decidir a tomada de uma ação, ela passa a ser uma KPI.

Resumindo, KPI não é métrica, mas uma métrica pode se tornar um KPI. Para entender melhor a diferença, é preciso entender que o objetivo do KPI é ajudar a entender o funcionamento e os resultados de uma estratégia.

Os principais indicadores-chave gerais

Dentro do markentig digital existem diversos tipos de KPIs. Você deve escolher aqueles que serão os mais relevantes para o seu negócio.

Para te ajudar nessa escolha, vamos então aos principais indicadores-chaves gerais:

CPC (Custo por Clique) e CTR (Taxa de cliques)

O CPC (Custo por Clique) é uma forma de cobrança de anúncios pagos, baseados no número de cliques realizados. Para calcular o CPC da sua campanha, é só dividir o total gasto pelo número de cliques recebidos.

Já o CTR (Taxa de Cliques) é uma métrica que auxilia na avaliação do desempenho de um anúncio no Google AdWords ou nas redes sociais. Ele é calculado ao dividir o número de cliques que o anúncio recebe pela quantidade de vezes que ele é exibido.

A taxa de cliques é importante por demonstrar a qualidade das suas palavras-chave do seu anúncio. Se o CTR for baixo, significa que o custo por clique é alto.

CTRi (impressões de taxas de cliques) e CTRv (visualizações de taxas de cliques)

CTRi ou impressões de taxas de cliques, como o próprio nome sugere, é a taxa de cliques para cada impressão obtida. É uma KPI mais utilizada anúncios pagos.

Já o CTRv ou visualizações de taxas de cliques, é mais usado para vídeos. Ele é o número de cliques que recebeu para cada vez que o vídeo é visualizado. Ou seja, depois que o espectador assistiu o vídeo até o fim, ele clicou para ser direcionado para outra página.

É uma KPI muito importante para vídeo marketing. Afinal, usuário que consome o conteúdo audiovisual, cria mais afinidade com a marca.

View rate (taxa de visualização) e view through rate (taxa de exibição)

O view rate ou taxa de visualização, é uma métrica que demonstra quantas vezes seus vídeos foram assistidos, comparando com a quantidade de vezes que foi acessado pelos espectadores.

Quanto mais alta for essa taxa, melhor, pois significa que seu conteúdo é relevante e interessante. Contudo, é preciso ter cuidado. A reprodução automática dos vídeos antes de um vídeoclipe eleva a taxa de visualização. Ou seja, ele poderá tornar um dado artificial.

Já o view through rate é o tempo de visualização dos vídeos. Assim, você saberá se as pessoas estão realmente consumindo seu produto ou se desistem de assistir logo depois de dar o play.

CPV (custo por visualização)

É o valor pago por cada visualização durante uma campanha. São contabilizados os vídeos assistidos por mais de 30 segundos ou quando existe a interação com algum botão, como de call to Action, cartões e banners complementares. Se o tempo de visualização for menor ou não houver interação, não existirão cobranças.

eCAC (custo por clique efetivo) e LTV (valor da vida útil do cliente

Com o CAC (custo de aquisição por cliente) é possível verificar o quanto você gasta para adquirir um novo cliente. Se esse valor for alto, é um indicador que sua estratégia não está boa.

Por exemplo, se gastou R$100,00 por mês para conquistar 5 clientes, seu CAC seria R$200,00. Daí pode avaliar se o custo é alto ou não.

Já o eCAC mensura o valor investido para adquirir os clientes nos diversos canais que atua. Essa métrica mostra o valor acumulado em todos os canais usados em sua estratégia de marketing.

O LTV é a previsão de quanto (dinheiro) espera receber, em média, de cada cliente pelo tempo em que ele adquirir seus produtos. Para calcular o LTV, você vai precisar de mais duas métricas que são: ticket médio e taxa de abandono dos clientes.

KPIs essenciais para medir o sucesso dos vídeos

Quando se trata de estratégias de vídeo marketing, há KKLP para acompanhar o desempenho dos vídeos. Conheça as principais:

Impressão e visualizações

Impressões servem para avaliar o quanto determinada peça de vídeo foi exibida ao público. Essas peças geralmente duram de 5 a 29 segundos.

Já as visualizações revelam a conclusão do anúncio, caso ele tenha menos de 30 segundos. Porém, é importante frisar que impressões e visualizações são coisas diferentes.

A primeira se refere à quantidade de vezes que seu anúncio foi entregue ao espectador. A segunda significa quantas pessoas assistiram seu conteúdo até o fim.

Mas ambas são essenciais para saber se o conteúdo é relevante para o espectador ou não. Assim, ajudará você a definir se o vídeo irá converter ou está sendo um desperdício.

Share of voice (SOV)

Este indicador é responsável por mensurar a quantidade de pessoas que seu vídeo atinge dentro de um determinado nicho de mercado. É utilizada especialmente para avaliar o desempenho em relação aos concorrentes.

Por exemplo: Se o vídeo de uma empresa tem 1.000 visualizações, e o do concorrente possui 9.000 no mesmo período, o SOV do primeiro é de 10%.

Porque essa KPI é tão importante? Ela servirá para mensurar consciência e market share, que é a quota de participação de uma empresa no mercado em que ela atua.

Cobertura ABM e elevação

A cobertura ABM mostra como seu vídeo alcança a Audiençia sagmetada. Se seu objetivo é fazer com que seu vídeo alcance um público específico, você deve avaliar quantas impressões e visualizações são verificadas junto a esse conjunto de clientes.

Já a elevação são números que mostram o aumento do interesse e consciência da sua audiência pelo seu conteúdo. As elevações principais são:

  • Elevação da marca: calculada por pesquisas e enquetes, essa métrica informa se sua marca está conquistando uma nova audiência;
  • Elevação na web: são analisadas as landing pages e tráfego do seu site para verificar o ganho da consciência da marca no website;
  • Elevação de pesquisa: é a pesquisa de como os usuários procuram a palavra-chave que tem relação com sua marca.

Minutos assistidos e downloads

Os minutos assistidos representam o tempo em que seu conteúdo é assistido durante um período. Sozinho, esse dado não determina muita coisa. No entanto, em conjunto com outros dados, fica mais fácil avaliar o desempenho do vídeo.

Já os downloads representam quantas vezes as peças de conteúdos, como conteúdos gratuitos e sem necessidade de cadastro, foram baixados pelos usuários.

Cliques e inscrições

Os cliques, como você já deve imaginar, representam quantas pessoas clicaram na oferta do vídeo. Geralmente, essas pessoas são levadas para outras páginas, sendo mais comum a landig pange

O número de inscrições também é um dado interessante para ficar de olho. Pois, a quantidade de pessoas que estão bastante interessadas em receber seus conteúdos, mostra o quanto sua audiência está envolvida com sua marca.

Engajamento

O engajamento é uma das principais KPIs quando se trata de vídeos. O engajamento demonstra a interação do público com as suas publicações. Isso é feito com cliques, compartilhamentos e comentários.

Dentre essas medidas, o compartilhamento é fundamental para que entenda se seu conteúdo tem relevância suficiente para ser difundido.

Visitas na landing page e conversões

Uma das principais estratagia de video Markinting    o usuário para uma landing page. Lá ele poderá agora se tornar um lead. Analisar quantas pessoas visitaram essa página é essencial para determinar se algo na estratégia precisa de mudanças.

Se você recebe muitas visitas na landing pages, mas ocorrem poucos conversões, fique atento. Isso é um sinal de que sua landing page precisa ser melhorada. É algo essencial para fazer o usuário caminhar na jornada de compras.

Como definir KPIs para minha campanha de vídeo marketing?

Para definir as melhores KPIs para sua estratégia de vídeo marketing, o primeiro passo é definir o objetivo da campanha. O objetivo é consciência, engajamento ou conversão?

Para ajudar nessa definição, você pode fazer um briefing sobre o produto ou serviço, pensando em quem e para quem será feito.

Além disso, é importante entender que as KPIs podem ser diferentes de acordo com cada plataforma escolhida. Por exemplo, as impressões nos vídeos do Facebook são diferentes do Twitter.

Ou seja, tenha em mente que cada plataforma possui sua função e analisam os desempenhos dos vídeos de formas diferentes. Portanto, ao escolher onde sua estratégia de vídeo marketing irá rodar, estude bastante o local.

Conclusão

Os vídeos já são considerados não uma estratégia complementar, mas sim essencial. Portanto, não perca mais tempo e comece a investir neles. E não se esqueça de definir e sempre verificar as KPIs para os vídeos e analisar o sucesso deles.

Esses indicadores irão te ajudar a orientar os vídeos de acordo com a necessidade do seu negócio deixa seu comentario. abraço.

Conheça 7 Indicadores de marketing digital que você precisa ficar de olho em seu negócio

para ser estratégico, você precisa analisar as métricas certas. Saiba mais sobre 7 delas no artPigo!

Com cada vez mais possibilidades e concorrência no meio do marketing, você não pode perder tempo nem faltar com a estratégia. É necessário, mais do que nunca, ficar de olho em alguns indicadores de marketing digital para ter certeza de que as suas campanhas estão no caminho certo.

Esses números são capazes de ajudar você a enxergar as partes da sua estrategia que estão indo bem e aquelas que precisam de ajustes. Ficar sabendo disso a tempo pode ser decisivo para você transformar um fracasso em sucesso.

Só que existem muitas métricas disponíveis no meio digital, o que pode confundir até quem já trabalha com isso. É muito importante escolher os indicadores certos para essa análise para sempre melhorar e inovar em seu negócio.

1. Taxa de conversão

A ideia por trás de monitorar indicadores de marketing digital é ter certeza de que as suas ações estão dando certo, não é? Então, você precisa começar por uma métrica que vai direto ao ponto e mostra o quão bem-sucedidas as suas iniciativas estão sendo.

A taxa de conversao  aponta a porcentagem de pessoas impactadas pelo seu conteúdo que converteram de alguma forma, ou seja, compraram um produto, assinaram uma newsletter, marcaram uma visita ou qualquer outra ação que você esteja buscando.

Essa taxa revela a efetividade da sua campanha. Isso é, uma taxa de conversão baixa significa que você não está conseguindo convencer o seu público-alvo sobre o valor da sua oferta.

2. ROI

Todas as áreas de uma empresa precisam ter o hábito de calcular o  ROI A sigla para Retorno sobre o Investimento tem o objetivo de mostrar quanto uma determinada ação, campanha ou até certo departamento está gerando em relação a ganhos financeiros.

A ideia, claro, é sempre ter um retorno maior do que o investimento inicial. Monitorar o ROI ajuda a caminhar em direção a esse objetivo, permitindo também que você possa ligar o sinal de alerta quando perceber algo de errado.

Quer saber como calcular o ROI de alguma iniciativa da sua empresa? Então veja a fórmula a seguir: ROI = (valor obtido de lucro – valor total do investimento) / valor do investimento.

3. Taxa de rejeição

Será que o seu conteúdo está mesmo agradando o público? Uma ótima forma de ter certeza é medindo a taxa de Rejaçao dele. Mas o que é rejeição, afinal?

Esse indicador de marketing digital aponta quando um visitante chega até o seu site e logo o fecha. Isso sinaliza que talvez essa pessoa não tenha encontrado o que estava procurando, que a página era irrelevante.

Para evitar que a sua taxa de rejeição aumente, você precisa analisar o seu conteúdo e o que o seu público procura. Assim, será possível preparar conteúdos relevantes

4. Taxa de cliques

Algumas ações têm o objetivo de levar o seu público a determinada página de destino. Monitorar a eficácia das suas peças de marketing nessas horas é muito importante para entender a performance da sua campanha. Então, é o momento de conhecer a taxa de cliques.

Se as pessoas não estão clicando nas suas ofertas, algo precisa ser feito. Pode ser que a redação não esteja persuasiva o suficiente ou talvez a sua imagem não tenha inspirado essa ação.

O cálculo da taxa de cliques é bastante direto: basta dividir o número de pessoas que clicaram em sua oferta pela audiência total. Como você já deve estar imaginando, a ideia é manter esse número sempre em crescimento.

5. CPM

A sigla CPM significa Custo Por Mil impressões. Essa métrica de marketing digital geralmente é usada para medir os resultados que você consegue em campanhas de mídia paga focadas em visibilidade e reconhecimento de marca.

Ou seja, como o objetivo é ser visto por muita gente, faz todo sentido calcular o quanto você vai pagar de mídia por volume de visualizações. A maioria das plataformas de mídia da atualidade dá a opção de usar o CPM, como o Google Ads e o Facebook Ads.

Quer saber como medi-lo? É simples: basta dividir o custo total da campanha pelo número de impressões que o anúncio recebeu e, depois, multiplicar esse resultado por 1000. Estar no caminho certo significa manter esse valor o mais baixo possível.

6. CPC

Esse é mais um dos indicadores de marketing digital relacionado à cobrança de campanhas de mídia. O CPC significa Custo Por Clique e, como o nome já diz, tem a ver com uma ação bem específica, que é a do clique para o destino do anúncio.

Em muitos casos, pode não fazer sentido querer só visualizações. Pode ser que você queira levar gente para o seu site, por exemplo. Então, o jeito é escolher a modalidade CPC para que a taxa de cliques seja o KPI DA CAMPANHA

Calcular o CPC é bastante simples: basta dividir o custo da campanha pelo número de cliques que você conquistou. Ou seja, um CPC baixo deve ser sempre desejado.

7. CPA

CPA significa Custo Por Ação. Esse também é um dos indicadores de marketing digital utilizados para medir os gastos com mídia paga. Com ele, a métrica mais importante para a sua marca serão ações.

Como assim, ações? É o caso de querer que alguém converta, compre um produto, faça a inscrição em um serviço ou newsletter, preencha um formulário de cadastro, entre outros.

Ele é calculado ao dividir o custo total da campanha pelo número de ações conquistadas por ela. Dessa forma, pode-se dizer que um CPA baixo significa que você está conseguindo vender mais por menos.

Comece a acompanhar seus indicadores de marketing digital

Agora é o momento de fazer uma análise detalhada da sua estratégia. Só tem um jeito de saber se ela está gerando valor para a sua empresa: acompanhando os seus indicadores de marketing digital.

Leve em conta as suas metas e os seus objetivos e comece a analisar as métricas. A partir daí, veja o que precisa de ajustes e aprenda com seus acertos para que o seu trabalho seja cada vez mais estratégico.

Viu só como analisar os indicadores de marketing digital pode impactar muito os seus resultados? É melhor ainda quando você tem uma ideia valiosa como base.

quer saber mais si escreve deixado o seu e-mail.

O que é Sucesso do Cliente e como ele pode ajudar sua empresa a crescer? 3

O que é Sucesso do Cliente e como ele pode ajudar sua empresa a crescer?

Do que se trata o conceito de Sucesso do Cliente?

A palavra “sucesso” nos faz pensar em algo que deu muito certo, não é? Pois bem, implementar um setor de Sucesso do Cliente no seu negócio é o mesmo que adotar iniciativas voltadas para uma experiência positiva e satisfatória.

Lincoln Murphy, um consultor de startups considerado o idealizador desse conceito, tem a seguinte definição:

O Sucesso do Cliente é quando o seu cliente alcança o resultado desejado por meio das interações com a sua empresa.

Vamos lá: o cliente deve alcançar o resultado, certo? Mas isso vai além de concluir a compra ou assinar um contrato, por exemplo. O resultado tem a ver com as dores do cliente — o seu produto ou serviço realmente precisa ir ao encontro dessas necessidades.

Em segundo lugar, isso deve ocorrer por meio de interações com o negócio. Ou seja, a ideia é que o consumidor não trace sua trajetória sozinho. Ele precisa ser acompanhado de perto, com interações frequentes e de qualidade para uma boa experiência, do início ao fim do relacionamento.

Aliás, uma boa estratégia de Sucesso do Cliente pode até mesmo evitar que esse contato chegue ao fim — o mais interessante é que o consumidor seja tão valorizado que vire um promotor do negócio e, ainda,fidelizado

O que é buzz marketing e como fazer com que as pessoas falem de você 4

O que é buzz marketing e como fazer com que as pessoas falem de você

O que é buzz marketing?

Para começar, buzz é um zumbido (como o de um enxame). Também pode ser traduzido como “um fato que cria estímulo ou animação”.

Então, o buzz marketing é a estratégia que cria uma motivação para as pessoas comentarem sobre uma marca, serviço ou produto.

Os principais objetivos são gerar um barulho no mercado para fazer os consumidores prestarem atenção na empresa e criar engajamento com o público-alvo.

Porém, o buzz marketing é diferente  do markenting viral nas redes soçiais

No primeiro caso, o objetivo é gerar comentários sobre a marca ou o produto, dar motivo para que as pessoas falem sobre o assunto ou sobre a campanha em si. Ele funciona como um boca a boca e é completamente focado no diálogo.

Já o marketing viral parte de outra proposta. Sua intenção é criar um conteudo que da educaçao e ao mesmo tempo que faça as pessoas não resistirem à vontade de compartilhar. Portanto, o público não fala necessariamente sobre o assunto, mas entende-se que a ação foi bem-sucedida quando essas pessoas repassam a mensagem incessantemente, ou seja, ela viraliza.

Qual é o foco do buzz marketing?

O foco do buzz marketing é atrair dois tipos específicos de consumidores:

  1. Pioneiros
  2. Early adopters.

Esses dois grupos de pessoas geralmente estão dispostos a experimentar as novidades que aparecem no mercado. Então, se uma empresa faz esse barulho e consegue chamar a atenção desses dois grupos, é possível que eles se tornem os primeiros clientes da marca ou do produto lançado.

Se a marca conseguir satisfazer esses clientes, ela pode começar uma verdadeira escalada rumo ao sucesso. Afinal, esses consumidores começarão a falar da marca para outros que, por sua vez, também vão contar sobre o produto para seus contatos, ampliando o alcance do negócio.

Quais são os benefícios do buzz marketing?

Quer saber como um negócio pode se beneficiar com o buzz marketing? Veja quais são as vantagens dessa estratégia!

Baixo investimento

Embora haja um investimento inicial, quando o negócio realmente consegue gerar um buzz, os comentários crescem naturalmente.

As pessoas vão falar sobre a marca ou a ação específica da empresa de forma gratuita, gerando um retorno espetacular.

Além disso, unir criatividade e um bom planejamento consegue todo esse buzz a partir de ações simples e baratas. Dessa forma, você chama a atenção de um público imenso, mas tendo realizado um investimento baixo.

Esse contato mais “espalhafatoso” é capaz de gerar leads que, com suas próximas ações de marketing digital (e-mails e oferta de material rico etc.), se tornarão clientes.

Credibilidade

Lembre-se sempre de uma regra de ouro do marketing: consumidor acredita em outro consumidor.

Como os comentários vêm de clientes e usuários dos produtos e serviços, o depoimento deles têm um peso enorme para que o público se interesse ou mesmo para que acredite valer a pena experimentar a sua oferta.

Além disso, você se lembra qual é o público que o buzz marketing foca? Como falamos, são os pioneiros e os early adopters.

Uma vez que eles estão sempre antenados às novidades, o público daquele segmento geralmente conhece essas pessoas e sabe que elas estão acostumadas a testar novos produtos e dizer se eles de fato entregam o que prometem. Essa recomendação é vista praticamente como um selo de qualidade.

Grande alcance

O buzz marketing funciona como uma avalanche: um grupo inicial fala a respeito do seu produto ou ação para seus contatos.

Essas pessoas compartilham o conteúdo com seus amigos que, por sua vez, também não querem ficar de fora da onda e repassam a informação. Assim, o alcance aumenta e, logo, muita gente vai saber do assunto e fazer dele um tema para seus comentários.

Como implementar estratégias de buzz marketing?

Quer saber como fazer o buzz marketing e chamar a atenção do público para o seu negócio? Confira nossas dicas para arrasar na sua estratégia!

Utilize os botões do buzz

Os botões do buzz são uma espécie de gatilhos que fazem as pessoas prestarem atenção em alguma coisa.

Sabe aqueles temas que despertam a curiosidade das pessoas, aquele sentimento de que elas precisam ver aquilo e não podem seguir em frente sem dar uma espiadinha? É disso que estamos falando!

Para o publicitário Mark Hughes, que observou esse fenômeno e até publicou um livro sobre o assunto, são seis temas que acionam o botão do buzz:

  1. o tabu,
  2. o incomum,
  3. o extraordinário,
  4. o chocante,
  5. o hilário,
  6. o segredo.
lucruor sem esforço

Como encontrar as melhores palavras-chave para o seu blog?

  1. A busca de palavers-chave é a base do SEO de qualquer blog ou site. Se não soubermos quais são as palavras que fazem os usuários chegarem até nós, é muito difícil que possamos desenvolver uma estratégia para aumentar e otimizar o tráfego. Então vamos às dicas:

  2. Tenha em mente a sua persona e conheça as suas intenções
  3. As buscas são definidas pelo objetivo que o usuário tem quando as executa (geralmente, os usuários vão ao Google para resolver um problema). Essas buscas podem ser divididas em três tipos:
  4. Informativas: aquelas com o intuito de buscar informação. Exemplo: Como fazer sobremesas
  5. Transacionais: têm como objetivo completar uma transação. Exemplo: comprar um e-book sobre sobremesas
  6. Navegacionais: são realizadas para encontrar um site específico. Exemplar: Hotmail, Facebook, etc.
  7. Compreender os gostos, os medos e as necessidades de seus potenciais clientes é essencial para encontrar as palavras-chave ideais para o seu blog e atrair uma audiência efetiva para  sua página.
  8. Se você tem um curso online sobre exercícios físicos e estilo de vida fitness, por exemplo, você deve compreender quais são os fatores que fazem o seu público se interessar pelo seu produto.
  9. A sua persona é alguém com excesso de peso, que precisa emagrecer? É alguém que está dentro do peso, mas precisa tonificar os músculos do corpo? É uma mãe que quer voltar ao corpo que tinha antes da gravidez? É uma executiva que não tem tempo para fazer atividades físicas tradicionais?
  10. si voçe seguir estes passos voçe pode ganhar dinheiro com seu bloge sem prensizar de muito calor de trabalho.

Ler mais

Quais técnicas de negociação são mais eficazes para ter sucesso? 5

Quais técnicas de negociação são mais eficazes para ter sucesso?

Está na hora de conhecer as técnicas de negociação que vão ajudar você a melhorar os seus resultados comerciais.

Leia atentamente cada uma delas e tente imaginar como iriam se encaixar nos seus processo de vendas além de planear as suas ações com base nas particularidades do seu segmento.

Aprenda, a seguir, 5 técnicas de negociação que vão fazer a diferença nos seus negócios.

1. Mostre a necessidade de compra

É muito mais fácil vender um produto a alguém quando esse item é visto como uma necessidade.

Portanto, como uma das técnicas de negociação que podem ser implementadas em seu processo comercial, você precisa entender as necessidades dos seus clientes em potencial.

qual publico que voce quer adirir

A partir dessa pergunta, vale a pena pesquisar o perfil dessas pessoas e, principalmente, alguns detalhes em comum de seus cotidianos.

A partir daí, é natural que você possa detectar oportunidades vantajosas para ajustar sua abordagem.

Por exemplo:

Quem trabalha o dia inteiro em escritório pode desenvolver problemas na coluna se não se posicionar corretamente. Uma empresa que venda almofadas ergonômicas pode ganhar um impulso em suas abordagens comerciais se direcionar seus esforços a essas pessoas.

2. Aproveite a força do marketing

Uma boa estratageia de marketing pode desempenhar um papel fundamental como técnica de negociação para o seu negócio. Basta conhecer bem o perfil do seu público-alvo e reforçar a imagem que a sua marca pretende passar para o mercado.

É nas campanhas de marketing que você pode deixar claro qual é o valor do seu produto, além de implementar um descuro de pursuçao para que seus clientes queiram consumi-lo.

Muita gente pode chegar até a etapa final de negociação já decidida a comprar de você graças a uma boa peça de marketing.

Portanto, não menospreze a importância do marketing em sua estratégia de negócios. Reserve parte do seu orçamento anual para esse fim e conte com uma equipe dedicada a cultivar oportunidades vantajosas para você ao longo do tempo.

3. Personalize a sua abordagem

Uma abordagem comercial nunca pode ser a mesma para todo o seu público-alvo.

Em vez disso, uma das técnicas de negociação que podem ser empregadas para alavancar os seus resultados é a personalização da abordagem. Isso significa mudar o seu discurso baseando-se em características do seu interlocutor.

Por exemplo:

Se o cliente tem um histórico de achar seus produtos caros e sempre pechinchar, vale a pena oferecer a ele, logo de cara, opções de pagamento mais amigáveis. Ele vai perceber a sua abordagem personalizada e encarar a oferta de maneira mais positiva, aumentando consideravelmente as suas chances de sucesso.

Para que seja possível acertar nas abordagens personalizadas, volte o olhar para as particularidades dos seus clientes.

É muito mais fácil tentar fidelizar alguém em vez de conquistar um novo cliente, então, fique de olho nessa possibilidade.

4. Saiba fazer concessões

Ambas as partes de uma negociação precisam terminar satisfeitas. Dessa forma, é natural que o seu negócio também precise se ajustar para atender ao que o cliente precisa, senão essa relação fica desalinhada.

Uma das técnicas de negociação mais eficazes é a capacidade de fazer concessões.

Tenha abertura para modificar os termos da sua oferta até o ponto em que continuem vantajosos para o seu negócio e satisfaçam o que o seu cliente precisa.

Uma forma de fazer isso é propor o negócio usando o seu valor cheio. A partir daí, proponha diminuir o valor por determinada margem para transmitir ao seu cliente em potencial que você tem disposição para agradá-lo.

5. Use gatilhos mentais

Gatilhos mentais são respostas automáticas do cérebro que são capazes de desencadear ações específicas. Trata-se de algo bastante vantajoso para dominar ao trabalhar com técnicas de negociação, já que representa um caminho para direcionar as ações do seu cliente em potencial para os seus objetivos.

Um exemplo de gatilho mental é apelar para a escassez, artificialmente limitando a disponibilidade de um produto. Quem não tem certeza a respeito da compra pode se precipitar e optar por ela se imaginar que logo vai acabar.

Outrogatiho mentais é projetar autoridade por parte da sua marca.

As pessoas tendem a preferir fazer negócio com quem respeitam e entendem como quem entende do assunto. E o melhor caminho para consolidar sua autoridade com a ajuda da internet é publicando conteúdo informativo que tenha alto potencial de compartilhamento, como em um blog.

Mas essas são apenas duas técnicas que você pode aplicar. Existem várias outras e vale a pena testar para ver qual funciona melhor com seu público.